O Boqueteiro Da Rua 13 – Capítulo 1

O garoto novo da cidade

Querido diário ninfomaníaco,

Hoje eu fiz o meu boquete de número cento e vinte e dois. O nome dele era Ramon, morava na rua de baixo. O pau dele era médio então não foi nada muito difícil. Acho que vou reprovar o último ano, mas se eu mamar o professor Ismael, eu tenho certeza que passo.

Um garoto novo chegou na cidade, cabelos grandes e ondulados. Um puta tesão. Ele é músico e talvez seja a oportunidade perfeita para eu sair desse abrigo e ganhar a vida com a música. Vamos ver o que o destino me reservou com esse Harry puta tesão Styles.

Com amor, Louis

Fecho o diário e o guardo na última gaveta da escrivaninha. Eu dividia o quarto do abrigo com mais três garotos e eu obviamente já havia mamado todos eles.

O meu problema era que eu não conseguia fazer sexo anal. Já tentei ter coragem várias e várias vezes, mas sempre arrego no final. Não sei da onde vêm esse medo, mas sei que estou perdendo o verdadeiro significado de prazer.

Enquanto não tinha coragem para fazer sexo anal, eu treinei e aperfeiçoei o meu boquete. Comecei bem simples com uma banana e fui evoluindo até o pepino.

Engolir uma piroca não é um trabalho fácil como muitos pensam. Exige trabalho árduo e muita dedicação.

Fora isso eu tinha outro problema.  Minha personalidade ninfomaníaca era muito difícil de ser aceita pela maioria das pessoas o que me fazia  ter pavio curto e estourar com todo mundo..

Somente a putaria e a música me acalmavam.

Era isso o que eu pensava até conhecer aquele garoto.

♡…♡

Eu não conseguir tirar os olhos dele desde que ele chegou na sala com aquele violão nas costas. Meu pau ficou tão duro e minha garganta tão seca que quase tive um orgasmo em menos de cinco minutos.

— Vai intimar ele? — pergunta Liam meu amigo de muitas datas. — O cabelo dele deve ser tão macio…

Me viro para Liam revirando os olhos.

— Primeiro que ele é meu, então tira o cavalinho da chuva sua Yag fedorenta. E segundo que não existe nada mais macio do que minha boca de veludo.

— Os dois aí vão parar a conversa ou querem lecionar no meu lugar a manhã toda? — diz o professor Ismael.

— Ismael — falo —, Você não era tão chato assim quando eu estava te mamando.

A sala toda explodiu em gargalhadas altas demais. Olho com o canto do olho e o novato também estava sorrindo.

O sorriso dele era tão gostoso… Ops outra ereção.

— Já chega Louis! — grita o professor. — Aqui na frente. Agora!

Levanto da cadeira e caminho até o quadro. Pego o giz de cera e desenho uma piroca bem grande.

— A aula de hoje vai ser como chupar um pau sem arranhar o membro com os dentes.

Ismael levanta afobado apagando o quadro. O que ele tinha de chato tinha de gostoso.

— Diretoria! Agora!

Reviro os olhos.

— Dessa vez você demorou hein Ismael? Que palhaçada da porra.

A sala cai na gargalhada novamente.

— Ei você! — chamo o novato. — Vamos dá uma volta por aí?

Ele se levanta recolhendo as coisas.

— Fechou, chega aí! — diz ele.

Aquele dia marcou o início da história do homem que se tornaria o amor da  minha vida e meu escravo do sexo. E também o responsável por partir meu coração.

Abram os Zípers… Eu cheguei!!

Autor: @romanceirogay