Paixão por Galabra – Capítulo 10

Capítulo 10 – A viagem

                              Pov pucu

Acordei cedo, na verdade eu mal dormi passei a noite pensando em como o Breno e o Charles estavam juntos e porquê isso me incomofava tanto, conclusão não tem nenhuma disso só me irrita mas tá cedo demais pra pensar nisso. Me levantei e fui um direção ao banheiro um pouco sonolento por não ter dormido quase nada, escovei meus dentes é entrei no chuveiro tomando um banho quente pra acordar ( Sim banho quente ajuda a acordar se você toma banho frio de manhã pra acordar, você tem problema ou e psicopata). Depois de sair do banho foi em direção ao quarto onde coloquei uma roupa leve é confortável já que eu ia ter que passar mais um tempo dentro de um ônibus até chegar no hotel. Depois de trocar de roupa fui até a cozinha onde virei um copo de café com um pedaço de bolo de cenoura com combetura de chocolate que tinha traga da casa dos meus pais que tinha visitado recentemente. Depois do café peguei minha mochila e minha mala pra viagem, que eu achava relamente desnecessário passar 7 dias em São Paulo um fim de semana e mais de suficiente pra visitar o zoológico e o aquário e mais uma semana pra escrever é entregar a tese, mas como não sou eu quem decido as coisas, vou pelo menos aproveitar o luxo de noa ter de arrumar o quarto sozinho e de tomar café em hotel uma das melhores coisas que eu já fiz. Peguei minhas coisas e entrei num Uber que me levou pra faculdade. A maioria do pessoal já estava lá em seus próprios grupinhos conversando, discutindo é socializando sobre varias coisas que eles ia fazer quando chegassem em São paulo, fiquei num canto mechendo no celular enquanto esperava pela chamada do professor, após alguns minutos eles nos chamou e começou a chamada.

– Alice Aquino, Alexandra Carvalho, Arthur Ribeiro… Os Alunos respondiam quase que de prontidão aos chamados do professor.

– Breno Aceti…, O professor esperou por alguns segundos pela resposta que não veio depois seguio com a chamada.

Como é possível o Breno ainda não estar aqui ele sempre e um dos primeiros a chegar e ficar rondando e socializando com todo mundo, uhum isso e estranho será que ele desistiu de ir pra viagem ? Não ele não perderia essa nota, só deve estar atrasado, porque eu ti tao preocupado com ele né ele nem fala comigo direito mais. Depois do final da chamada o professor começou a direcionar os alunos pra os seus respectivos ônibus é eu estava pegando minhas coisas quando me deparei com breno e Charles um pouco afastados de mim perto da entrada, não sei se eles conseguiam me ver dali mas sei que eu conseguia ver eles. Depois de trocar algumas palavras e caricias, eles deram um beijo rapido que me afetou de alguma forma, não era como se eu tivesse triste na real eu estava feliz que o Breno tinha achado alguem mas mesmo assim aquilo me encomofafve de alguma forma, me irritava, me intristecia eu não sei o que me fazia sentir. Algumas pessoas olharam surpresas por um momento outras simplesmente ignoraram o fato e seguiram adiante. Peguei minhas coisas e estava prestes a seguir em direção ao meu ônibus quando fui interrompido pelo muleque mais irritante da faculdade.

– Ala Lucas seu namorado tá beijando outro você vai deixar ou vocês abriram o relacionamentos recentemente. Ele disse rindo prós seus colegas idiotas como se zuar com a sexualidade de alguém em pleno século 21 ainda fosse algo engracado, caso que nunca foi.

– Bem eu não mando no Breno não e mesmo a gente e só amigo é se a gente namorasse também isso não era da sua conta, mas e estranho você comentar isso sendo que durante a última festa de carnaval você parecia muito interessado em se meter no meio do nosso “casal” né já que deu muitas vezes em cima de mim e do Breno dizendo que a gente tava muito gato e que pegava a gente sem ninguém saber, pois saiba que o pior tipo de “viado” como você e seus amigos gostam de falar e aquele que se esconde e não se mostrar prós outros então repense suas atitudes antes de falar com alguém, principalmente numa segunda feira de manha. Depois de jogar todas aquelas verdades na cara dele ele estavam sem palavras e perplexo e foi até satisfatória ver aquela cara de idiota dele sem reação ou sem saber o que dizer. Peguei minha mala que estava no chão e fui em direção ao onibus antes que aquele acéfalo idiota tentasse dizer mais alguma coisa, tô com um total de zero paciencia e a próxima merda que ele falar eu não vou ter a bondade de responder ele não. Coloquei minha mala no bagageiro do ônibus e entre dentro dele, era um ônibus executivo, mas ele era diferente era mais confortável é tinham algumas sacolas com algumas coisas pra comer o que eu achei ótimo comida nunca e demais. Me sente no último banco sozinho onde poderia sentar e esticar os pés é dormir lindamente o caminho todo, pelo menos foi o que eu pensei até o professor acabar com a minha alegria.

– pessoal dividam os bancos com suas duplas pra facilitar na hora de fazer o chekin no hotel e etc… Ele disse mais algumas coisas mas eu apenas ignorei o que ele disse pensando em como seria conversar com o Breno depois disso tudo, como seria nossa relação não que eu tivesse algum problema com o namoro dele e tal mas algo ali me incomodava e eu não sei o porquê mais não vou discutir isso com ele, vou tentar tratar ele como sempre e tal que sabe o que vai acontecer. E falando nele lá estava com o cabelo plantado algo que tinha percebido recentemente, seu sorriso encantador caracteristico, o olhar penetrante e de tirar o fôlego de qualquer um. Uma blusa de moletom cinza e uma calça preta surrada que estava um pouco desbotada. Ele vinham em minha direção e parecia me secar de uma forma intrigante e só então eu me dei conta de que estava fazendo o mesmo então me ajeitei na cadeira e cortei o contato visual. Ele se sentou ao meu lado e me encarou por mais um momento antes de soltar um sorriso lindo é estender a mão pra me comprimentar.

– Eae cara como você tá, saudades hehe.

– Ahhh oi cara, eu tô bem pô um pouco com sono porque eu fiquei jogando durante a madrugada e quase perdi a hora mas tô bem. Disse o cumprimentando, embora aquele fosse um início de conversa normal aquilo era estranho eu não sei porque. Estávamos conversando por mais um tempo até que o professor cortou todo mundo e começou a falar.

– Atenção pessoal, estando saindo agora, vocês já são adultos pelo menos no papel então fassam como tal e tenha um mínimo de noção e senso, estamos previstos pra chegar as 11: 30 perto do horário do chekin até lá vocês podem dormir, conversar ou até jogar aí no celular de vocês então vamos sair e até la. Ele disse voltando pra o outro lado da porta perto do motorista. Coloquei meus fones e me virei pra janela tentando descansar um pouco enquanto o Breno parecia conversar com alguém no celular ou sla o que ele estava fazendo, demorei um pouco mas depois acabei cochilando.

—*—

Depois de um tempo acordei com o barulho do ônibus parando e quando eu abri meus olhos estava apoiado no ombro de Breno que tambem parecia ter adormecido com sua cabeça escorada na minha. Depois de alguns minutos me ajeitando gentilmente me arrumei na cadeira o que fez com que o mesmo acordasse e também se ajeitasse na cadeira, ele olhou pra mim por uns segundos e depois soltou mais um de seus sorrisos calorosos e doces.

– Você dormiu bem princeso, me pareceu que não tinha dormido nada já que capotou assim que o ônibus voltou a andar, além das suas olheiras fundas e a carinha de bravo que você faz quando tá com sono. Ele me disse com uma descrição muito grande de detalhes de mim mesmo.

– Eeu dormi sim cara na real tô com um pouco de dor nas costas por conta de ter dormido no ônibus mas assim que a gente chegar eu vou estar melhor. Assim que eu terminei de falar o professor entrou no onibus.

– Bem alunos chegamos, aqui vocês vão desçer e pegar suas coisas, além de fazer o chekin no hotel e só falarem que são da faculdade e darem seus nomes pra fazer o chekins os quartos são por conta da faculdade mas tudo que vocês consumirem lá dentro vocês que vão pagar então tenho conciencia e bom senso sobre as ações de vocês. Depois disso ele deixou todos nos descermos e pegarmos nossas coisas, depois disso eu entrei na fila pra fazer meu cadastro e pegar minhas chave pra entrar no quarto.

– Boa tarde, senhor poderia me informar seu nome pra eu fazer seu cadastro. Ela disse olhando pra mim.

– Ah boa tarde, eu sou Lucas Pucu.

– Então senhor Lucas você está dividindo o quarto com qual dos seus colegas ? Ela perguntou me olhando um pouco confusa por eu estar sozinho.

– Ae bem eu estou dividindo meu quarto com meu amigo Breno Aceti. Disse em um tom de voz baixo e um pouco nervoso tambem.

– Breno entendo já vou deixar a chave dele separada então, bem seja bem vindo e bia estadia pra você e seus colegas, seu quarto e o 224 no terceiro andar senhor lucas.

– Obrigado e bom trabalho. Dei um sorriso rápido e segui rumo ao elevador que me levou até o terceiro andar, sai do elevador um pouco sonolento e me arrastei até o quarto, e após abri a porta me deparei com… mas antes que eu pudesse falar qualquer coisa fui surpreendido por Breno que entrou atrás de mim E deixou sua mala cair ao meu lado.

– A gente precisar resolver isso…

Escrita por: Yuri_16martins e riquecito